BLOG

Risco da Radioatividade

Vamos falar hoje sobre um assunto árduo, porém muito atual: qual o risco da radioatividade? Após o acidente de Fukushima, muitas pessoas questionaram-me sobre as consequências desse desastre à saúde.

Bem, diariamente estamos expostos a radiação, sendo a maior parte proveniente da natureza como os raios cósmicos ou da produzida pelo homem, como alguns exames médicos ou assistir a televisão. Em valores, o homem recebe anualmente 2 a 3 milisieverts (mSv) por ano de radiação.

Veja a figura para ter uma noção dos níveis de radiação a que estamos expostos, e os seus efeitos.

Crédito foto: uol.com.br, the Guardian e Radiologyinfo.org

Para fins comparativos, em 14 de março, foi medido na usina nuclear de Fukushima, emissão de 400 mSv/hora. Em 24 de março, dois operários japoneses foram internados após receberem 170 mSv de radiação, mais de 50 vezes a dose anual. E qual o problema?

Esta radiação ionizante pode trazer consequências  como morte celular, mutação genética e câncer.

Precisamos entender bem dois conceitos: o que são efeitos determinísticos e  efeitos estocásticos?

Entendemos como efeitos determinísticos aqueles em que a exposição adicional a doses de radiação fatalmente causará  patologias tais como vermelhidão da pele, queda de pêlos, bolhas na pele, catarata.

Quanto maior a exposição, maiores serão os problemas. Já os efeitos estocásticos independem dessa dose cumulativa. Uma única exposição poderá levar à mutação genética e, se não eliminada pelo corpo humano, se tornará um câncer. Obviamente,  quanto  maior o número de exposições à radiação, maior será a possibilidade de ter uma doença como o câncer.  Efeitos estocásticos equivaleriam a cravar um número premiado na roleta de um casino. Se as apostas são frequentes, mesmo que remotas, aumentam a possibilidade de ser um dia “premiado”.

Como medida preventiva à instabilidade radioativa que Fukushima vem produzindo, o próximo Congresso Mundial de Dor da WIP (World Institute of Pain), previsto para iniciar agora no final de abril, em Seul/Korea, foi cancelado e  transferido para  Miami/EUA em 2012. Decisão difícil, com enorme impacto financeiro e de imagem, porém, pautada na  responsabilidade para com o outro.

Para mim, a humanidade tem solução. Ou há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia…

JÁ VIU?