BLOG

dr_charles_oliveira_idoso_subindo_escada

OSTEOARTRITE DE JOELHO: A IMPORTÂNCIA DOS TESTES FUNCIONAIS

Como podemos avaliar a progressão da melhora/piora da osteoartrite de joelho além da simples pontuação da intensidade da dor feita pelo próprio paciente?

Convido a Professora de Educação Física e Especialista em Fisiologia do Exercíco, Carolina Mie Kawagosi Onodera para nos explicar para que servem os testes funcionais.

Entendendo as consequências da Osteoartrite e da inatividade

A osteoartrite (OA) é uma doença articular crônica caracterizada pela degeneração progressiva da cartilagem e do tecido ósseo. Todo este processo pode culminar em dor, perda da função da articulação, e consequentemente diminuição da qualidade de vida.

Segundo a pesquisadora Marian Minor da Universidade de Missouri (EUA), a Osteoartrite é um fator de risco para a inatividade. A pessoa inativa esta mais propensa a desenvolver obesidade, diabetes, hipertensão e sarcopenia, que é a perda de massa muscular. Já a sarcopenia resulta na diminuição da capacidade de resposta rápida às mudanças no posicionamento corporal, fundamental para proteger as articulações e evitar quedas.

Dessa forma a Osteoartrite não está apenas relacionada aos níveis de dor. A dor é o fator central que limita as pessoas de realizarem suas atividades diárias como ir as compras, sentar e levantar da cadeira, subir e descer escadas, colocar e tirar as meias. Chamamos isso de capacidade funcional.

Por que os métodos de avaliação funcional no tratamento da Osteoartrite são tão importantes?

Para avaliação da eficácia de um tratamento é importante a utilização de avaliações funcionais, pois eles nos dirão como está caminhando a evolução do tratamento. Na medida que o tratamento ocorre, normalmente os níveis de dor diminuem. Com a diminuição dos níveis de dor, voltamos aos poucos à nossa capacidade de realizar as atividades de vida diária, ou seja, melhoramos a nossa capacidade funcional.

No ano de 2013, foi publicado um estudo por pesquisadores da Universidade de Melbourne na Austrália em que propõem 05 tipos de avaliação funcional:

01) Teste de sentar e levantar da cadeira (30 seconds chair test): o teste tem como finalidade avaliar a funcionalidade, quanto à força e equilíbrio dinâmico. Neste teste o paciente deverá realizar o maior número de repetições do movimento de levantar e sentar na cadeira, em um período de 30 segundos.

02) Caminhada rápida de 40 metros (40 meters fast paced walk test): é um teste de caminhada rápida em uma distância curta, com mudança de direção durante a caminhada. A caminhada de ritmo acelerado será cronometrada em uma distância de total de 40 metros.

03) Teste de subir e descer escadas (stair climb test): é um teste onde o indivíduo deverá subir e descer uma escada no menor tempo possível. O indivíduo será posicionado na frente da escada, e ao sinal deverá subir os degraus indicados, e descer, podendo utilizar o corrimão como instrumento de segurança.

04) Time up and go test: o objetivo desse teste é avaliar a mobilidade física, através da velocidade, agilidade e equilíbrio dinâmico. Uma cadeira é posicionada contra a parede e em frente será colocado um cone, permitindo ao participante contornar livremente o cone. Ao sinal, o paciente deverá levantar da cadeira, caminhar o mais rapidamente possível em volta do cone, retornar à cadeira e sentar.

05) Teste de caminhada de 6 minutos (6-minute walk test): é um teste em que será avaliada a distância percorrida, dereverá ser realizada sem correr, em 6 minutos. Ao final de 6 minutos, os avaliados serão orientados a ficar em seus respectivos locais de finalização do teste para que os avaliadores contabilizem a distância percorrida.

Estes testes tentam se aproximar das atividades que normalmente fazemos no nosso dia a dia, como por exemplo, subir e descer escadas, levantar e sentar da cadeira, caminhar e mudar de direção durante a caminhada.

Os testes funcionais devem ser aplicados por profissionais treinados antes do tratamento, para sabermos qual foi o grau de limitação funcional que você chegou ao consultório. E depois do tratamento os testes são realizados novamente, para que possamos ver qual ganho funcional se teve com a intervenção realizada pela equipe. É preciso compreender que nem sempre é possível realizar todos os testes, por questões de incapacidade física, por exemplo.

Portanto, a avaliação funcional é de extrema importância, pois os dados dos testes realizados poderão auxiliar os médicos, fisioterapeutas e educadores físicos, nas tomadas de decisão em relação ao tratamento e no processo de reabilitação. Dessa forma, poderão acompanhar a sua evolução de forma mais eficaz e controlada.

e-mail: kawagosi.mie@gmail.com

E-MAIL: KAWAGOSI.MIE@GMAIL.COM

Referências:
BAHAT G et al. Observational cohort study on correlates of mortality in older community-dwelling outpatients: The value of functional assessment. Geriatr. Gerontol. Int. 2014 Dec 16.
DOBSON, F. et al. OARSI recommended performance-based tests to assess physical function in people diagnosed with hip or knee osteoarthritis. Osteoarthritis and Cartilage, v. 21 p.1042-1052, 2013
MINOR, M.A. Impact of exercise on osteoarthritis outcomes. J Rheumatol. v. 31, p. 81-6, 2004

[call_to_action button_text=”Visite o Correio Popular Online” text=”SEU CANAL DE NOTÍCIAS DE CAMPINAS” color=”green” size=”regular” url=”http://correio.rac.com.br/” target=”” position=”left”]

JÁ VIU?