BLOG

Medicina Intervencionista da Dor: programa FIPP do World Institute of Pain

Após o congresso mundial da dor, Dr. Charles passou dias gratificantes como examinador dos candidatos ao FIPP do World Institute of Pain, completando seu tempo na Europa com uma semana na Bélgica, onde conheceu os serviços de dor dos Drs. Jan Van Zundert e Kris Vissers.

msd_boardfippDiante do crescente interesse dos médicos brasileiros em ter a titulação FIPP, Dr. Charles esclarece, “O programa começou em 2001 e sua meta é a certificação de médicos qualificados em Medicina da Dor mediante a avaliação do seu conhecimento e aplicação das técnicas intervencionistas de dor nos âmbitos teórico e prático.”

Em seu Boletim de Informações FIPP, o WIP informa os objetivos de programa:

  • Estabelecer o domínio do conhecimento e treinamento em Medicina da Dor;
  • Avaliar o conhecimento e aplicação das técnicas intervencionistas da dor por médicos de dor de modo psicometricamente válido;
  • Incentivar o crescimento profissional na prática das técnicas intervencionistas;
  • Reconhecer formalmente indivíduos que atingem o nível requerido pelo Comitê Examinador do WIP;
  • Prestar serviço público mediante o incentivo a cuidados de qualidade ao paciente na prática da Medicina da Dor.

Com o FIPP, o WIP propõe a manutenção e melhora da qualidade da educação pós-graduação no campo da medicina da dor através da colaboração com organizações afins; a manutenção de um registro onde o público e entidades interessadas podem visualizar o status de um médico de dor na prática de técnicas intervencionistas; e a facilitação da discussão com organizações públicas, profissionais e privadas, agências de saúde, e entidades regulatórias em relação à educação, avaliação e certificação de especialistas de dor em técnicas intervencionistas.

Podem se candidatar a este título, médicos de dor que já sejam especialistas qualificados na área do manejo de dor.

Candidatos devem apresentar documentação comprovando amplo treinamento nas áreas de neuroanatomia, neurofisiologia, neuropatologia, farmacologia, psicopatologia, modalidades físicas e modalidades cirúrgicas relevantes ao campo da medicina da dor.

Em termos de conhecimento prático, é necessário demonstrar que se dedicam à pratica da medicina de dor em tempo integral ou pelo menos metade do tempo com a outra metade do tempo dedicada a uma outra especialidade. Devem apresentar documentação detalhada dos procedimentos que já realizaram junto com seu pedido de inscrição.

O exame é dividido em três partes: Teórica, Prática e Oral. O exame oral é ministrado por dois examinadores randomizados de um grupo de trinta, e não poderá ser conhecido do examinando.

Como mencionado no post sobre o VII Congresso Mundial da Dor, em novembro deste ano (2014), em seguida do cadaver workshop da SOBRAMID em Miami, candidatos poderão pela primeira vez prestar o exame em língua espanhola, além da língua inglesa. O exame continua sendo oferecido em língua inglesa, e pelo calendário tradicional é oferecido duas vezes por ano em Maastricht e Budapeste respectivamente.

Grupo Examinadores FIPP Maastricht, Holanda

Esq. à dir. Examinadores Drs. Charles Oliveira, Fabrício Assis (Brasil) Peter Courtney (Austrália) e Alex Yeo (Cingapura) em Maastricht, Holanda.

 

Médicos intervencionistas da dor

Drs. Jan (Bélgica), Charles (Brasil) e Saleem (Qatar) na Bélgica

 

Medicos de dor Charles Amaral Kris Vissers

Drs. Charles Amaral, Kris Vissers e Monique na Holanda

LINKS ÚTEIS:

Página oficial Programa FIPP

Inscrição online FIPP

SOBRAMID

Miami Hands-on Cadaver Workshop

JÁ VIU?