BLOG

dr_charles_oliveira_ciclo_insonia_dor

DOR CRÔNICA: QUEBRANDO O CICLO DA INSÔNIA CRÔNICA – Parte 1

A insônia crônica, não se resolve sozinho. Requer diagnóstico clínico e tratamento. Um desafio da saúde pública, a insônia, que pode assolar o indivíduo a vida inteira com grande impacto físico e psicossocial, precisa ser levado a sério para quebrar o ciclo vicioso que costuma se instalar quando a pessoa não dorme.

A dor crônica pode ser um motivo ou uma consequência da insônia. Uma das definições da insônia é: dificuldades em adormecer ou de permanecer adormecido, despertar noturno ou precoce (mais cedo que o desejado).

Em números, em torno de 70% das pessoas com dor crônica relatam que devido à dor despertam durante a noite ou cedo demais ou ambos. Insuficiente em quantidade e qualidade, o sono se torna não reparador.

Tem grande chance no dia seguinte que o insone sinta cansaço, fadiga, dores de cabeça, ou tenha falta de concentração ou atenção, mudanças de humor e outras indisposições. Ou seja, impacta também o funcionamento social e ocupinsonia cronicaacional do indivíduo.

É um fator de risco para a ocorrência de colisões de automóvel, acidentes de trabalho, perda de emprego, para o surgimento de problemas sociais e maritais e para a redução na saúde global e na qualidade de vida.

E a história não pára aí. A procura de uma solução rápida, mais vezes que nunca, a pessoa recorre a soníferos ou anti-ansiolíticos para conseguir dormir. Pode até praticar uma boa higiene do sono; mesmo assim, o quadro não muda e a insônia assombra… noite após noite. Acaba gerando uma reação de ansiedade com a aproximação da hora de dormir.

Diagnóstico e classificação

Pelos parâmetros correntes, antes de adotar uma modalidade ou combinação de modalidades de tratamento, o primeiro passo é fazer o diagnóstico clínico através de história do sono e detalhada história médica, psiquiátrica e do uso de substâncias. Uma vez diagnosticada, ela é classificada como primária (aguda) ou secundária (comórbida).

A insônia primária geralmente tem uma causa identificável não ligado a um transtorno e a secundária pode estar associada a ou ter como causa uma condição médica ou transtorno psicológico. Por isso, no diagnóstico da insônia secundária, é necessário uma investigação clínica mais sistematizada.

Vale observar que a maior parte dos pacientes com dor crônica já passaram da insônia transitória para a insônia secundária ou comórbida. Provavelmente, seu médico, durante a investigação da sua insônia, levantará que o paciente já tem na sua história a insônia primária. É importante que as condições clínicas e/ou psiquiátricas associadas à insônia sejam identificadas e tratadas.

Insônia Primária

No caso da insônia primária, os objetivos do médico devem ser: manejo das alterações causadas pelas condições subjacentes, prevenção da progressão da insônia primária para a secundária e melhora da qualidade de vida.

Tratamento da Insônia Primária – primeira linha de tratamento é não-farmacológico e consiste de intervenções cognitivo-comportamentais. Pode ser introduzida a farmacoterapia do sono — modalidade de tratamento mais comumente usada no Brasil, porém, estudos mostram que o benefício é de curto prazo. Embora a higiene do sono, seja largamente difundida, é considerada terapia complementar e ainda não existem dados científicos comprovando uma eficácia duradoura. Consiste basicamente de:

– eliminação de distrações ou outras influências
– quarto silencioso
– luz apagada
– eliminação de ruídos
– cama e roupas de dormir confortáveis

Insônia Secundária e Medicina Intervencionista da Dor

Na clínica da medicina intervencionista da dor, para tratar a insônia crônica persistente associada à dor crônica (geralmente quando o paciente chega a procurar um centro de dor já está instalada a insônia secundária), adotamos uma abordagem multifacetada baseada em evidências, com objetivo de melhorar a qualidade e quantidade do sono do paciente de dor crônica no curto e longo prazo. Em Parte 2 do artigo, saiba mais sobre as intervenções utilizadas para tratar a insônia crônica secundária na tentativa de quebrar o ciclo vicioso. Não perca!

Também poderá gostar de ler sobre Recursos de Enfrentamento da Dor Crônica ou Dor Crônica – Tratamento e Controle

Referências:

http://www.ufrgs.br/psiquiatria/psiq/Diretrizes%20para%20Insonia%20final.pdf. Acessado em 28/09/2014. http://www.aasmnet.org/Resources/clinicalguidelines/040515.pdf = http://bit.ly/10lKbID. Acessado em 29/09/2014.

Atualizado em 17/06/2016

JÁ VIU?