BLOG

mundo_sem_dor_artrose_exercicios_na_agua

ARTROSE DE JOELHO: COMO A FISIOTERAPIA PODE AJUDAR

A Osteoartrose (OA) é uma doença crônica caracterizada por degeneração da cartilagem articular, dor e rigidez à movimentação.

Estima-se que 4% da população brasileira apresente OA, sendo o joelho a segunda articulação mais acometida, responsável por 37% dos casos, perdendo apenas para o quadril.

Aproximadamente 8% da população acima de 55 anos de idade apresenta algum tipo de limitação funcional associada ao quadro de OA. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a OA é a quarta causa mais importante de incapacidade entre as mulheres e oitava entre os homens.

Hoje entrevisto Dr. Juliano Xidieh, fisioterapeuta do Singular e Instituto Wilson Mello para que compartilhe sua experiência no tratamento da artrose de joelho.

MSD – Como avaliar a OA?

Juliano – Utilizamos três parâmetros. O primeiro é a impressão radiológica. A classificação de Ahlbäck modificada, a mais utilizada atualmente, que vai de 1 a 5, e quanto mais alto o número, pior a condição da artrose e provavelmente dos sintomas.

A segunda avaliação é a cinético-funcional onde se avalia o paciente em uma caminhada de 6 minutos, sua força muscular e análise de um questionário sobre a função do joelho. Por último é feita uma avaliação subjetiva sobre qual a demanda física daquele joelho em relação às demandas da vida cotidiana do paciente avaliado.

MSD – Como seria um tratamento conservador para tratar artrose?

Juliano – Após a avaliação anterior que comentei, é elaborado um tratamento específico e direcionado para o paciente. Hoje existem várias técnicas de tratamento baseadas em evidência cientifica, que ajudam muito ao paciente a melhorar seus sintomas e consequentemente sua qualidade de vida.

O tratamento básico para artrose do joelho é fortalecimento muscular da coxa, com exercícios em cadeia cinética aberta (CCA), exercícios estes que não tem apoio dos pés em uma superfície fixa. Também deve-se abolir todo e qualquer tipo de atividades aeróbicas que geram impacto, como caminhada e corrida e preferencialmente realizar atividades na água ou bicicleta ergométrica. A diminuição do peso corporal e melhora da flexibilidade dos músculos da coxa são outros dois fatores que também irão contribuir para melhora dos sintomas.

MSD – Quando você percebe que pode haver falha no tratamento conservador?

Juliano – Se na análise dos três fatores mencionados anteriormente: raio X com artrose grau 4 ou 5, teste cinético funcional com pouca força, questionários com escores muito insatisfatórios e uma alta exigência do joelho no cotidiano da pessoa, poderemos ter falha no tratamento conservador e outras possibilidades devem ser aventadas tais como a colocação de uma prótese total de joelho ou uma radiofrequência resfriada dos ramos geniculares do joelho.

MSD – Sendo o blog um canal de informação, quais são as suas dicas para prevenir artrose do joelho?

Juliano – Um dos fatores mandatórios para o aparecimento da artrose são os fatores genéticos, que vão ditar o ritmo e evolução da doença. Isto é imutável! Mas algumas medidas como controle de peso e fortalecimento muscular com exercícios apropriados que não sobrecarregam a articulação do joelho são fundamentais. Também deve-se evitar exercícios aeróbicos com muito impacto por períodos prolongados e manter bom alongamento pois com toda certeza vão contribuir para retardar o processo de evolução da artrose. Lembre-se que a artrose é uma doença degenerativa que não tem como evitar com o avanço da idade, mas com bons hábitos no estilo de vida, conseguimos retardá-la.

Minibiografia Dr Juliano Xidieh

Minibiografia Fisioterapeuta Dr. Juliano Xidieh e-mail: juliano@iwmello.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

JÁ VIU?