BLOG

Nova lista de coberturas inclui radiofrequência no tratamento de dor crônica de coluna

A partir de 02 de janeiro de 2014 começa a vigorar o novo rol de coberturas a que beneficiários de planos de saúde terão direito e na lista está a radiofrequência para o tratamento de dor crônica na coluna.

O tratamento de dor com a radiofrequência (RF) constitui uma técnica intervencionista minimamente invasiva, eficaz em tratar dores que resistem às opções conservadoras de tratamento, os medicamentos ou bloqueios das raízes nervosas. Quando as alternativas conservadoras não têm sucesso, em algumas situações, restam duas opções: a cirurgia ou RF, a primeira invasiva e a segunda minimamente invasiva.

Naturalmente, o melhor para o paciente é a opção que causa menor trauma, tem maior precisão, e demanda menor tempo de recuperação, ou seja, o menos inconveniente. Neste caso, o tratamento com RF preenche estes quesitos. Como não é feita nenhuma incisão neste procedimento, o tempo de recuperação é rápido e o paciente pode levantar-se e continuar suas atividades poucas horas depois do seu término.

Além disso, tem baixo índice de complicações quando realizado por profissionais capacitados e experientes.

Quais as vantagens desse tipo de analgesia? Sem dor, permite à pessoa retomar as suas atividades, fazer reabilitação física, diminuir o uso de medicamentos, e por consequência, reconquistar sua qualidade de vida.

Visão geral do Procedimento

1. Uma placa dispersiva é colocada no paciente para levar a corrente de volta ao gerador ao qual está conectada. A quantidade de corrente que entra no corpo do paciente através do eletrodo deve ser igual à corrente que o deixará pela placa.

Placa dispersiva de radiofrequencia

Placa dispersiva de Radiofrequência

2. Um visualizador de imagens (C-arm) é ajustado para ampliar e monitorar todo o tempo, as imagens de onde a agulha está sendo colocado.

Radiofrequencia guiada por raio-X

Imagem de C-arm e monitores utilizados nos procedimentos guiados por raio-X.

3. Insere-se percutaneamente uma agulha especial muito fina. Acoplada a ela está um microeletrodo através do qual fluirá uma corrente alternada de alta frequência produzida por um gerador de RF.

Gerador de radiofrequencia

Ilustração do gerador da RF. geração de calor na ponta do microeletrodo e dispersão da corrente pela placa. Para a dor na coluna, o microeletrodo direciona-se às vértebras.

 

4. Uma corrente elétrica alternada de alta frequência é aplicada a uma estrutura alvo — um nervo ou um gânglio (aglomerado de células nervosas), identificado como origem da dor por exames de imagens e bloqueio diagnóstico realizado anteriormente. Gera-se um calor somente no alvo e isto lesiona as fibras nervosas sensoriais por onde os sinais da dor são transmitidas e consequentemente o “trânsito” dos sinais da dor é interrompido, atenuando a dor até o nervo se regenerar.

 

radiofrequencia da coluna vertebral

Existem dois tipos de tratamento com RF: a Radiofrequência Convencional (RFC) e a Radiofrequência Pulsada ou Pulsátil (RFP). Clique aqui para ler explicação sobre os dois tipos de radiofrequência no tratamento de dor.

Além do tratamento de dor crônica da coluna, por exemplo, as dores causadas por artroses da coluna vertebral, hérnias de disco, assim como as dores de origem discogênica (causado por discos vertebrais afetados por doença ou envelhecimento), este procedimento terapêutico é indicado no tratamento de dor crônica na perna, ombro, pescoço, nervos periféricos, etc..

Também é utilizado para tratar pacientes com neuralgia trigeminal e occipital. Hoje no Brasil, embora ainda não esteja tão acessível fora dos maiores centros hospitalares, o procedimento já esta mais disseminado do que em 2010, ano em que publiquei meu primeiro post sobre o tratamento com RF (veja post original).

Na época já era considerado um tratamento “atual” para dor crônica, embora seja uma técnica desenvolvida e aplicada há mais de 25 anos em centros de dor da Europa e dos EUA, onde a dor é tratada e estudada por equipes multidisciplinares. No Singular, realizamos o procedimento com sucesso há cinco anos e fora do Singular, desde 2003. Inclusive, em maio de 2013, tivemos o prazer de receber Dr. Menno Sluijter, “pai” da Radiofrequência Pulsada no Singular Centro de Controle da Dor, onde ele deu aulas práticas para os alunos do nosso curso de medicina intervencionista da dor, e de tê-lo como presidente de honra no I Congresso Sobramid.

Agora com a recente  notícia da cobertura obrigatória mínima (Clique aqui para ler a publicação do ANS), esperamos que mais pessoas comecem a ter acesso e a usufruir dos benefícios do tratamento da dor de coluna crônica com radiofrequência. Foi mais um passo. Tenham uma ótima semana!

JÁ VIU?