BLOG

mundo_sem_dor_eletrodos_neuroestimulacao

Estimulação Medular: “Teste-Drive” do Dispositivo

Durante o período de teste paciente avalia os benefícios

O estimulador medular é utilizado quando todo tipo de tratamento falha em um paciente com dores crônicas, a exemplo de uma síndrome pós-laminectomia. Realizamos este tipo de tratamento no Singular – Centro de Controle de Dor.

Primeiro, um trial (implantação-teste) de estimulador medular é feito. Implanta-se o instrumental no espaço peridural. Nesta história de hoje, a paciente queixava as dores crônicas de uma síndrome pós-laminectomia. Esta ocorre em pessoas que são submetidas a uma ou várias cirurgias de coluna e que evoluem com dor igual ou maior que a que eles tinham antes da cirurgia.

Depois disso, a paciente permaneceu com o trial implantado no espaço peridural por um período de 2 semanas.

Durante esse tempo de teste a pessoa avaliará os benefícios do aparelho, dando mais segurança a todos (médico, paciente, fonte pagadora) sobre a indicação, ou não, da realização de uma nova intervenção, para fazer o implante definitivo.

A vantagem de se utilizar os trials descartáveis apoia-se em três pilares:
1) sendo de uso para duas semanas, o material é menos duradouro, portanto, tem custo menor
2) o paciente pode fazer um “teste drive” do que será colocado em seu corpo em definitivo, algo com que conviverá diariamente. O trial é totalmente percutâneo; sem cortes.
3) o doente terá expectativas reais do quanto o novo tratamento pode lhe ajudar. Afinal, devemos lembrar que cada corpo responde de uma maneira diferente.

O que é a Estimulação Medular

Esta é uma técnica de neuromodulação. Como o nome indica, modula a intensidade da dor crônica refratária (que não responde a tratamento). Este tipo de dor é caracterizado por uma facilitação no transporte de informações dolorosas ao sistema nervoso central.

A estimulação medular (pulsações periódicas de uma corrente elétrica fraca) visa restaurar o estado normal e reduzir a dor e outros sintomas associados.

Antes da indicação desta modalidade terapêutica, o paciente precisa passar pelo tratamento convencional:  antidepressivos, anticonvulsivantes, neurolépticos, opioides, sempre seguindo a escada de tratamento da dor instituída pela OMS.

É utilizada para tratar:

– Síndromes pós-laminectomia (radiculopatias pós-cirúrgicas)

– dor neuropática (diabética, herpes zoster)

– Síndrome da Dor Complexa Regional (SDCR)

* Vale lembrar que o tratamento farmacológico oral permanence mesmo após o implante, podendo e devendo ocorrer uma redução na quantidade de medicações utilizadas.

Como é o procedimento

O procedimento é simples e seguro. Consiste da implantação percutânea (pela pele) de um ou dois eletrodos quadripolar (quatro pólos) ou octopolar (oito pólos) –  para a estimulação medular. Veja a seguir um registro do procedimento realizado em nossa clínica.

Insercao agulha espaco peridural

Inserção da agulha no espaço peridural para posterior progressão do eletrodo por seu interior.

 

Eletrodos quadripolares

Visualização da imagem no raio X — dos dois eletrodos quadripolares (quatro polos).

Veja outro post sobre a implantação definitiva na paciente.

Fique por dentro – explore o nosso conteúdo!

Gostaram? Deixem seus comentários e/ou ajude-nos a compartilhar as informações!

JÁ VIU?