BLOG

dr_charles_oliveira_john_j_bonica_pai_medicina_intervencionista_da_dor

DR JOHN BONICA E O TRATAMENTO INTERVENCIONISTA DA DOR

Dr. John Bonica, pai da medicina intervencionista

Dr. John Bonica, pai da medicina intervencionista da dor

Vida e trabalho do Dr. John Bonica (1917-1994), pai do Tratamento Intervencionista da Dor

Dr. Bonica dedicou cinco décadas de sua vida lutando e trabalhando incansavelmente para estabelecer a dor como área de estudo e para disseminar o trabalho do Médico Intervencionista da Dor.

Ele propôs a integração criativa de neurocientistas básicos e clínicos gerais para desenvolver a área.

Motivado pela própria história de vida e pelo sonho de todos terem acesso ao alívio da dor, ele obteve sucesso em comprovar a importância da dor e do controle dela no cuidado dos pacientes.

Não somente comprovou isso, como foi pioneiro de um movimento científico internacional e multidisciplinar para o estudo da dor.

Mesmo após sua morte, Dr. Bonica continua uma fonte de inspiração para médicos intervencionistas da dor em todo o mundo, além de ser um exemplo de superação da dor crônica. (Uma carreira no ringue lhe marcou com sequelas músculo-esqueléticas que causaram dor crônica e complexa pelo resto de sua vida.)

Se torna lutador profissional para pagar seus estudos e manter a família. Fonte imagem: wrestlingclassics.com

Nascido em 1917, em uma pequena ilha perto da Sicília, sua família emigra para Nova Iorque onde o pai falece em 1932.

Ele se torna arrimo da família e vende jornais, frutas e verduras para sustentá-la. Lutador amador no colégio, se profissionaliza para poder pagar seus estudos de medicina. Casa-se com Emma Baldetti em 1942.

Quando, sua esposa quase morre com anestesia primitiva com éter durante o primeiro parto, ele desenvolve a primeira anestesia epidural contínua para alívio da dor do parto. Ao dar à luz ao segundo filho, ela se torna a primeira mulher do Noroeste Pacífico dos EUA a ter um parto com anestesia epidural.

Ele conta que, enquanto chefe de anestesiologia do Hospital Militar de Madigan durante a II Guerra Mundial, apareciam “casos que me intrigavam”. Encaminhava seus pacientes para os colegas ortopedistas, neurocirurgiões, e psiquiatras, mas “eles sabiam menos que eu”.

Propôs então reuniões semanais para discutirem os casos mais difíceis e foi assim que começou o tratamento da dor por equipe multidisciplinar.

Nas cirurgias passou a usar o bloqueio regional (que ele aprendeu sozinho pesquisando na literatura) aliado com técnicas pioneiras de alívio da dor.

Conseguiu amenizar o sofrimento de mais de 10,000 soldados feridos na guerra sob seus cuidados. Durante toda sua vida esta experiência serviu como incentivo para aliviar a dor dos outros.

Dr John J Bonica funda o primeiro centro multidisciplinar de dor

Dr. John Bonica assume a direção do Departamento de Anestesiologia do Tacoma General Hospital onde funda a primeira Clínica Multidisciplinar da Dor dos EUA.

Convencido da eficácia desta nova abordagem no controle da dor, em 1947, convidado para ser Chefe do Depto. de Anestesiologia do Tacoma General Hospital,  fundou uma Clínica Multidisciplinar de Dor.

Em 1953, publicou sua maior obra, o tratado O Manejo da Dor, (2a. edição, 1990). Durante sua vida, Dr. Bonica publicou dezenas de livros e artigos científicos.

Sete anos depois, em 1960, ele estabeleceu e dirigiu o Depto. de Anestesiologia da Universidade de Washington, fundando circa 1969 um Centro de Dor Multidisciplinar, que eventualmente passou a oferecer cuidados ambulatoriais.

Foram reabilitados dois-terços dos pacientes que já haviam se submetido, sem sucesso, a tratamentos convencionais para alívio da dor crônica. Neste centro também desenvolveram técnicas de anestesia regional para cirurgia e obstetrícia. . . . “A base do meu programa é o cuidado ao paciente; a pesquisa é somente a cereja do bolo”.

A presença de estresse e depressão entre os pacientes levou à integração de psicólogos e psiquiatras à equipe. Um deles, Wilbert Fordyce, percebeu a importância dos fatores ambientais na dor de alguns pacientes e identificou a importância do fator comportamental no paciente de dor crônica. Juntos trabalharam para desenvolver estratégias diagnósticas e terapêuticas no tratamento da Dor Crônica.

Em 1973, Bonica reuniu 300 pesquisadores em Seattle e juntos endossaram a criação da IASP (Associação Internacional para o Estudo da Dor). Hoje a entidade tem mais de 7000 membros representando 133 países e 90 regionais em todo o mundo (dados 2017).

Dr. John Bonica e Dr. Prithvi Raj, pioneiros na medicina intervencionista da dor

Dois anos depois, fundou a revista Pain (Revista da Dor, Ed. Wolters Kluwer), uma referência na divulgação de pesquisas científicas originais sobre a natureza, mecanismos e tratamentos da dor aguda e crônica.

Tivesse John Bonica vivido até hoje, teria visto o Tratamento Intervencionista da Dor se firmar no Brasil e a área de atuação em dor ser reconhecida pela Associação Médica Brasileira. No país, alguns dos maiores hospitais do país já oferecem Serviço de Dor.

Sua preocupação, visão e compromisso incessante de destacar a importância dos estudos da dor e do tratamento multidisciplinar, catalisaram os avanços atuais no campo da dor. Seu trabalho no campo da dor levou a uma maior conscientização sobre este elemento fundamental do sofrimento humano.

(Fonte: Citações da Oral History of John Bonica, 1993)

Quer saber mais sobre o trabalho deste médico pioneiro? Veja este TED-talk sobre a contribuição do Dr. Bonica para alívio da dor como conhecemos:

Profissionais médicos podem gostar do:

Guia para o Tratamento da Dor em Contexto de Poucos Recursos

SUGERIMOS...