BLOG

Diagnóstico Específico na Dor Lombar Crônica

Sabe aquela dor na coluna lombar que não dá para esquecer? Que incomoda, seja ela forte ou fraca!? Se persistir por três meses ou mais já é classificada como dor lombar crônica.

A boa notícia é que não precisamos aguentar a dor nem aceitá-la resignados já que, na grande maioria das vezes há cura ou no mínimo, alívio.  A dor mal cuidada na fase inicial pode evoluir para uma dor crônica. Portanto, quanto mais rápido tratar, melhor.

Na classificação antiga de dor lombar apenas 10% dos casos recebiam um diagnóstico de causa específica tais como hérnia de disco, espondilolistese, estenose de canal medular ou fratura. Os outros 90% eram devido a causas inespecíficas.

Com o advento dos bloqueios diagnósticos surgiu uma nova classificação. Através desses bloqueios ficou revelado que mais de 50% das vezes as dores são de origem discogênica, entre 10-25% dores facetárias e a dor e a dor nas articulações sacroilíacas como terceira maior prevalência, entre 10-15%. E no que isso melhorou? Com diagnósticos mais precisos, conseguimos realizar procedimentos intervencionistas mais específicos e por consequência, com melhores resultados.

Coluna lombar mostra de L1 a L5

Região de dor lombar. Ocorre na região das vértebras L1 a L5. A dor de origem lombar também pode irradiar para a parte superior das pernas.

DIAGNÓSTICO ESPECÍFICO ORIENTA O TRATAMENTO

A base de qualquer diagnóstico em dor esta alicerçada na hístória do paciente, no exame físico, em exames de imagens da coluna e mais recentemente, nos bloqueios diagnósticos. Com isso, segundo estudos, chegamos a 85% de acerto. E por que não 100%? Porque temos bloqueios diagnósticos que nos dão resultados falso-positivos e também falso-negativos, um assunto para outro post.

exames para diagnostico da lombalgia

Exames que utilizamos para auxiliar nos diagnósticos.

Recordo que o bloqueio diagnóstico é uma opção minimamente invasiva que ajuda na confirmação do diagnóstico, pois, permite localizar o nervo que está conduzindo a dor.

No próximo post informações sobre os diversos tratamentos no segundo e terceiro degraus da escada de tratamento da dor. Até breve!

8 Responses

  • jan 28, 2018

    Anne, nosso corpo é uma integração do fisico e psíquico. Alem de buscar ajuda com os médicos e assim você fez fazendo exames complementares que nada esclareceu, é importante buscar apoio psicológico também para ver como esta emocionalmente.

    Dr Charles Oliveira jan 28, 2018
  • fev 5, 2017

    Elivando, se as dores ainda persistem, procure um médico novamente. O raio x consegue ver partes ósseas, não vendo as partes moles, como músculos, ligamentos e discos intervertebrais. Pode ser que seja necessário realizar exames complementares.

    Dr Charles Oliveira fev 5, 2017
  • fev 5, 2017

    Elevando, o raio X ajuda a ver a parte óssea. Pode ser que esteja com uma hérnia de disco e isso pode ser avaliado de forma melhor com uma tomografia computadorizada ou melhor que isso, uma ressonancia nuclear magnética.
    2017-01-22 20:59 GMT-02:00 Disqus :

    Dr Charles Oliveira fev 5, 2017
  • eurico gama
    nov 21, 2015

    Bom dia Dr. Charles amara
    uma vez que o senhor é especialista em coluna, gostaria de informações…olha Dr. Charles amara eu tenho fortes dores na coluna e inicialmente fiz um raio x e segundo diagnostico medico foi constatado um começo de espondilolistese e queria saber como são feitos procedimentos para extinguir essa dor que incomoda demais ou alguma injeção recomendável mas sem muito efeitos colaterais uma vez que faço uso medicamentoso de anti convulsantes.

    eurico gama nov 21, 2015
    • fev 5, 2017

      Eurico, nem sempre o que achamos que seja o motivo da dor é realmente o gerador da dor. Um bloqueio junto a essa listese com um pouco de anestésico local, guiado por raio X, ajuda a entender a origem da dor. Esse próprio bloqueio pode ser também um início de tratamento. Por fim, sendo esse o motivo da dor, importante fazer um reforço regular da musculatura para evitar que essa listese evolua. Uma listese grau 4, classificação de 1 a 4, pode necessitar de cirurgia.

      Dr Charles Oliveira fev 5, 2017
  • mundosemdor
    nov 28, 2013

    Prezada Antônia,
    quando diz no texto que tem dor no fêmur e fez uma tomografia, entendo que o laudo é relacionado a tomografia de coluna lombar já que cita artrose e espondilose. Esse é o curso natural de nossas vidas. A artrose ocorre em todo nosso corpo: joelho, quadril, coluna lombar, cervical, etc. Após mapear a dor com bloqueios com anestésico local, pode ser feito a rizotomia de facetas lombares. Isso elimina a dor mas a artrose perpetua já que não há como reverter isso. Com o alívio da dor, deve-se seguir um trabalho continuo de reforço muscular.

    mundosemdor nov 28, 2013
  • mundosemdor
    out 16, 2013

    Zélia, difícil lhe responder. O tratamento de síndrome dolorosa complexo regional é algo complexo tendo que ser feito fisioterapia, procedimentos intervencionistas de dor, medicamentos e psicoterapia.
    Em 70% das vezes, ocorreu algum stress emocional até 60 dias antes do início dos sintomas relacionados à síndrome.

    mundosemdor out 16, 2013
  • mundosemdor
    out 16, 2013

    Prezado Augusto,
    O nervo ciático é formado pela junção das raízes L4-L5-S1-S2-S3. Todos os seres humanos devem possuir esse nervo. Imagino que esteja dizendo que tem dores no ciático. Se essas dores são oriundas de uma hérnia discal, deve tratar essa causa. Se for devido a estenose do foramen, também. Se for compressão do músculo piriforme, idem. Portanto, o bom tratamento inicia-se com um bom diagnóstico.

    mundosemdor out 16, 2013

Deixe uma resposta