Disfunção Sacroilíaca

23 out

Dor na Articulação Sacroilíaca

A disfunção sacroilíaca (SI) pode causar dor lombar ou nas coxas ou nádegas, que pode também irradiar pela perna, e dor na virilha. Geralmente a dor irradiada é sentida até o joelho, mas às vezes pode estender até o tornozelo ou o pé.

Anatomia

A articulação sacroilíaca faz a junção entre a parte inferior da coluna – o sacro – com a pelve, e possui ligamentos fortes. É uma articulação forte e sustenta o torso quando ficamos em pé.

Dor nesta articulação pode ser o resultado de lesão ou inflamação. Pressão exercida por edema dos tecidos dentro e em torno da articulação, pode fazer com que os nervos espinhais na região originem impulsos de dor. Quando esses nervos são comprimidas, a pessoa sente dor, e possivelmente terá alguma limitação funcional.

Uma grande variedade de fatores ou eventos podem causar esta doença, tais como lesões traumáticas ou um impacto súbito, artrite degenerativa, gravidez e infecção da articulação sacroilíaca.

Sintomas

Os sintomas podem incluir dor e rigidez na região lombar, coxas ou nádegas. Inflamação da articulação resulta em dor e inflamação adicional, criando um ciclo desagradável.  Falta de sensibilidade e sensação de frio também podem acompanhar esta condição.

Diagnóstico

Para chegar a um diagnóstico o primeiro passo é o levantamento da história clínica do paciente e a realização de um exame físico. Seu médico pode solicitar uma radiografia ou uma ressonância magnética ou tomografia.

Entretanto, uma das maneiras mais acuradas de diagnosticar a dor sacroilíaca pode ser a realização de um bloqueio diagnóstico. Neste procedimento, guiado por fluoroscopia ou ultrassom, injeta-se na articulação um anestésico local como a lidocaína.

Parece fácil, mas, uma alerta aqui, é necessário que seja realizado por um profissional treinado. O mais indicado é o médico intervencionista da dor (médico de dor), que, aliado com sua capacidade de especialista também tem de ser experiente e habilidoso para inserir a agulha no local exato.

Se a dor parar depois do procedimento, então, em conjunto com o exame físico, o médico terá mais evidência de que era a articulação que estava causando a dor.

Em alguns casos, o conjunto de nervos sensoriais que vão da coluna até a articulação, assim como os ligamentos da articulação, precisam ser bloqueados com anestésico local. Isto porque os ligamentos possuem numerosas terminações nervosas que ainda podem transmitir os sinais de dor.

Tratamentos para Dor na Sacroilíaca

As opções de tratamento para o alívio da dor geralmente são não-cirúrgicas.

  • Fisioterapia  e Exercícios – restaura o equilíbrio pélvico e aumenta a flexibilidade e resistência da musculatura pélvica, abdominal, e da extremidade inferior, conduzindo à reestabilização da estabilidade lombo-pélvica. Esta ação estabilizadora também pode ocorrer mediante o Pilates e o ioga.
  • Terapia aquática – pacientes com dor severa podem tolerar melhor o baixo impacto dos exercícios na água. Além disso, a resistência da água cria um ambiente propício para a ativação dos músculos pélvicos estabilizadores
  • Medicação – antiinflamatórios muitas vezes são eficazes no tratamento
  • Quiropraxia – pode ser benéfica na restauração do equilíbrio pélvico

São necessários meses de terapia intensiva para restaurar a função normal da pelve. Se a dor persistir ainda, o tratamento é levado para o próximo degrau na escada da dor.

Técnicas minimamente invasivas

  • Injeção Sacroilíaca – uma injeção/infiltração de corticóide (medicamento antiinflamatório) na articulação SI para reduzir a dor e a inflamação

Não havendo resposta a esta terapia, uma segunda técnica minimamente invasiva ainda pode ser utilizada:

  • Neurotomia Sacroíliaca – feito como procedimento ambulatorial, leva em torno de 45 minutos; não envolve anestesia geral e tem risco menor que um procedimento cirúrgico. O tempo de recuperação é curto e o paciente vai embora no mesmo dia.  Nesse procedimento, uma agulha é introduzida na região da articulação sacroilíaca (SI) através de uma agulha introdutora. Aplica-se então a radiofrequência, que aquece o tecido (especificamente os nervos sensoriais) em torno da ponta da agulha. Assim, as fibras nervosas na articulação SI que provavelmente estão causando a dor são desativadas.

Existe também o tratamento com proloterapia ou PRP (plasma rico em plaquetas), procedimentos regenerativos avançados.

Em casos muito raros, as intervenções cirúrgicas podem ser necessárias para corrigir os problemas causadores da dor.

E por hoje é só – até breve e bom domingo para todos!

Escreva seu comentário, compartilhe as informações! Sejam nossos amigos no Facebook e Twitter também.

 

  • mundosemdor

    A infiltração da articulação sacroilíaca confirma o diagnóstico e se este bloqueio é satisfatório, está indicado uma radiofrequência de sacroilíaca quando esta dor retorna.

  • mundosemdor

    Sim. Há medicamentos para ajudar a controlar esse movimentos incessantes das pernas.

  • mundosemdor

    Francisco, estatisticamente a dor de sacroilíaca atinge os pés em 12% dos casos. Mas outros diagnósticos diferenciais devem ser descartados como problema vascular, hérnia de disco, estreitamento do canal da medula, etc.

  • mundosemdor

    Luise, uma infiltração do quadril com supressão da dor ajuda a entender que a origem da dor está ali. Portanto, você pode discutir com seu médico a possibilidade de fazer um bloqueio nesta região antes de realizar um procedimento mais invasivo.

  • mundosemdor

    Pessoas com dor em sacroilíaca devem buscar realizar o controle da dor, seja com fármacos e/ou bloqueios e realizar estabilização lombosacra com fisioterapeuta especializado. Após um processo de 12 a 16 semanas, ele libera para atividade física regular para reforço muscular podendo ser a hidroginástica.

  • FRANCINETE

    PARABENS SUAS INFORMAÇÕES TIRARAM MINHAS DUVIDAS.

    ABRALOS

    FRANCINETE SANTOS

  • mundosemdor

    Olá! O Singular recebeu há 2 anos certificação de centro de excelência em tratamento de dor crônica pelo Instituto Mundial da Dor (World Institute of Pain). Há 16 centros no mundo com esta titulação, sendo o único do Brasil.
    Não saberia lhe indicar algum lugar em Santa Catarina.
    Atenciosamente,
    Charles Oliveira

  • mundosemdor

    Ficamos felizes que as informações tenham sido pertinentes, Viviane.

  • mundosemdor

    Marilene, ficamos felizes que a explicação tenha sido útil, no entanto, lembre-se que seu médico é quem melhor pode orientá-la. Abçs.

  • Mundo sem Dor

    Cara Suiane, muito interessante sua história. Não me aventuraria a arriscar um diagnóstico, já que tendo passado por tantos especialistas, o problema persiste. Caso não tenha feito isso ainda, procure um médico especialista em dor para que lhe ajude e possa controlar sua dor. Em São Paulo, lhe indico meu sócio de clinica, Dr. Fabrício Dias Assis, o qual trabalha às 4as. feiras no Hospital Israelita Albert Einstein. Grande abraço. Charles

  • Ana Amelia

    Também tenho estas dores. Como já fiz cirurgia de coluna e tenho 6 pinos colocados, a coluna ficou retificada e tenho problema na articulação do quadril.faço Pilates, hidroginastica . Já fiz varias aplicações destas descritas acima. Melhora um pouco somente por uns dias. A radio freqüência nao dá para ser aplicada porque os pinos escondem as raízes. Nao sei mais o q fazer.

  • cleber

    Olá Dr., Estou com dores igual citado pela materia acima, sou de São Paulo- capital, teria algum especialista para indicar aqui? obrigado

    CLeber 

  • Suiane_odonto

    Olá, me chamo Suiane, sou cirurgiã-dentista e há cerca de 3 anos comecei a sentir muitas dores que vao desde a virilha  até o pé direito. Já fui em mais de 20 médicos, entre eles, ortopedistas, neurocirurgiões e realizei mais de 15 exames, como ressonancias (lombo-sacra, fossa ilíaca e regiao cérvico-lombar), tomografias (abdominais totais com enfoque retal e outras de região inguinal), eletromiografia, colonoscopia, entre outros. Entretanto, até hoje não se sabe o diagnóstico. A dor é constante, lancinante, tenho sensacoes de pontadas e choques na regiao inguinal e latejamento forte no membro inferior direito e tive vários hematomas de tanto socar a perna, por ser uma dor muito profunda. Já foi pesquisado síndrome do periforme, hérnia discal, herpes zoster neural, endometriose, xivanoma neural, problemas reumatológicos, mas sem resposta positiva. Não há momento que a dor saia, apenas um certo alívio com água quente (bem quente), tendo quadros de piora quando sento e quando está frio. Atualmente faco uso de Tramadol, Tylex 75mg, Morfin, Dorilax, Lyrica 300mg, Sertralina 100mg, Diazepan 20mg, Alprazolan 1,0mg e nada tira a dor, sem contar a quantidade de corticóides intra-musculares e por via oral que já tomei. Será que pode ter a ver com disfuncão sacro-ilíaca? Porque isso ainda não foi pesquisado. Desde já, agradeço. Espero muito uma resposta.