BLOG

mundo_sem_dor_botox_reabilitacao_apos_derrame

A TOXINA BOTULÍNICA – MUITO ALÉM DA ESTÉTICA – PERGUNTAS E RESPOSTAS –

Sabia que a toxina botulínica A pode ser útil no tratamento da espasticidade pós-derrame, neuralgia do trigêmeo, bruxismo, síndrome de dor miofascial e outras condições?

Pois, seu uso vai muito além da estética.

No artigo a seguir, Dr. Charles Amaral e Dr. Luiz Antonio M H M Castro falam da origem da toxina botulínica e procuram responder as perguntas mais comuns acerca dos usos da substância e da sua aplicação.

Confira!

O QUE É A TOXINA BOTULINICA

A toxina botulínica é produzida naturalmente pelo Clostridium botulinum, uma bactéria que existe na natureza, sendo estudada há muitos anos.

Já no século XVIII, é descrita a doença causada pela bactéria produtora da toxina – o botulismo, patologia que leva a um relaxamento dos músculos. Desde então, inúmeros foram os estudos, em vários países, para entender como funcionava esta ‘temida’ substância.

Na década de 70, são iniciados os testes em humanos. Em 1989, o comitê americano de controle de medicamentos e alimentos (o FDA), após 10 anos de estudos, aprova a medicação como segura e eficiente para o tratamento dos distúrbios do movimento. Portanto, a medicação é SEGURA para o tratamento de seres humanos.

Existem vários tipos de toxina, porém, a mais estudada e utilizada atualmente é a do tipo ‘A’.

COMO FUNCIONA A TOXINA BOTULÍNICA

Uma vez injetada nos locais adequados, a toxina botulínica se liga aos nervos, e, após alguns dias, promove o bloqueio da acetilcolina. Com isto, ocorre a diminuição do impulso nervoso para os músculos e a queda na atividade motora, levando ao relaxamento.

QUAIS SÃO OS USOS DA TOXINA BOTULÍNICA

Com o objetivo de promover o relaxamento muscular, a toxina botulínica foi sendo testada e usada em várias situações.

  • Estética

A grande divulgação da toxina botulínica foi para fins estéticos. A injeção do medicamento nos músculos do rosto leva ao relaxamento dos músculos e diminuição das rugas. É muito comum as pessoas confundirem os efeitos da toxina botulínica com o resultado de preenchedores. A toxina botulínica não promove aumento de nenhuma estrutura, ou seja, não é a toxina que aumenta os lábios ou os contornos do rosto.

  • Em pacientes após um AVC (derrame)

Após um quadro de AVC, os pacientes podem apresentar dificuldade para se movimentar. Esta complicação no membro superior pode ser para esticar o cotovelo, mexer o punho ou abrir a mão, e ser tão grande a ponto de dificultar a higiene pessoal e provocar dor e deformidades. No membro inferior, a queixa está relacionada ao equilíbrio, marcha, a ficar sentado ou em pé; o indivíduo pode ficar com o joelho esticado e pisando na ponta do pé. Estas pessoas, quando avaliadas precocemente por um profissional de saúde (médicos, fisioterapeutas, enfermeiros), podem ser encaminhadas para aplicação de toxina botulínica. A toxina levara ao relaxamento dos músculos, o que ajudara nas sessões de fisioterapia, a caminhar, a ter sua higiene adequada. É importante saber que a medicação não faz recuperar o movimento, mas ela ajuda a relaxar o músculo para que a pessoa possa ser tratada.

  • Suor excessivo

O suor é produzido normalmente nas pessoas e tem dentre suas funções a de resfriar o corpo, porém esta produção pode ser tão grande que gera desconforto. Uma vez avaliados, os pacientes podem ter a toxina botulínica injetada na pele das axilas ou mãos, por exemplo, promovendo uma diminuição importante da secreção.

  • Espasmos (“tremores”) na face

Independente da causa, os espasmos ou ‘tremores’ nas pálpebras ou no rosto geram muito desconforto. Na prática médica chamamos estes quadros de blefaroespasmo, quando ocorre na região dos olhos, e espasmo hemifacial, quando acontece em uma metade do rosto. Às vezes, o quadro é muito severo, podendo impedir a pessoa de ficar com os olhos abertos, dificultando a leitura e gerando grande sofrimento. Outros indivíduos acabam se isolando em virtude dos movimentos involuntários na face. Sua causa deve ser investigada e, se possível, tratada. Alguns pacientes não apresentam motivo aparente e podem se beneficiar da aplicação da toxina botulínica.

  • Torcicolos e distonia

Os movimentos involuntários de cabeça e pescoço ocasionam grande sofrimento psicológico e físico aos indivíduos acometidos. Os movimentos podem ser muito dolorosos por si só ou gerar outras complicações que levam a dor. Uma vez investigados, podem ser tratados com a injeção da toxina botulínica nos músculos afetados. A medicação leva a diminuição ou até mesmo interrupção dos movimentos por um período, promovendo grande alivio.

  • Neuralgia do trigêmeo e neuralgia pôs herpética

Como já explicado anteriormente, a toxina botulínica diminui a atividade dos nervos. Portanto, em doenças que acometem estas estruturas pode haver uma melhora do quadro clínico. Nestes casos a medicação é injetada na pele da região da dor e não nos músculos.

  • Dor de cabeça

Em virtude do stress diário, da falta de atividade física e postura inadequada, dentre outros fatores, é comum as pessoas terem dor de cabeça. Alguns tipos de dor de cabeça crônica podem ter uma ótima resposta à injeção da toxina botulínica. Ocorre um relaxamento dos músculos e a ação central da toxina botulínica, promovendo melhora da qualidade de vida e diminuição do consumo de medicamentos. É importante salientar que o uso da toxina deve ser acompanhado por atividades como fisioterapia, massoterapia e técnicas de relaxamento, bem como exercícios, para eliminar as causas musculares da dor.

  • Bruxismo – o ato de ranger os dentes e dores em articulação temporomandibular (ATM)

Existem pessoas que queixam de dor na região da ‘mandíbula’ (ATM). Alguns destes casos podem estar relacionados ao ato de ranger os dentes ou ainda à contração insistente dos músculos da mastigação. Este fato pode estar associado a stress e causar muitas dores na região além do desgaste dos dentes. A injeção da toxina botulínica nos músculos da mastigação (principalmente, o masseter e o temporal) pode levar a um importante alívio da dor.

  • Dores musculares 

A toxina botulínica pode ser usada no tratamento da SÍNDROME MIOFASCIAL. A medicação pode ser injetada nos chamados pontos gatilho, promovendo relaxamento das bandas tensas e alivio da dor. A medicação não deve ser usada para tratamento da dor muscular aguda.

Existem ainda outras aplicações para a toxina botulínica relacionadas a especialidades especificas como urologia, gastrenterologia, otorrinolaringologia, oftalmologia dentre outras.

QUAL A DURAÇÃO DO EFEITO DA TOXINA BOTULÍNICA

A toxina botulínica tem um efeito passageiro, ou seja, o seu resultado não é permanente.

Dependendo da doença, para qual está sendo feito o tratamento, o efeito pode variar de 3 a 6 meses.

QUAIS OS EFEITOS COLATERAIS DA TOXINA BOTULÍNICA 

Sendo aplicada por médicos habilitados e seguindo as orientações em bula, a toxina botulínica é uma medicação bastante segura. Os maiores problemas da toxina estão relacionados a técnica ou doses inadequadas. A medicação não deve ser injetada em pacientes com febre, com infecções de pele ou com o diagnóstico incerto.

DE QUANTO EM QUANTO TEMPO POSSO APLICAR O MEDICAMENTO

Estudos atuais, aconselham intervalos de 3 meses entre as aplicações; isto se deve ao fato de que o corpo, pode adquirir ‘resistência’ ao medicamento e ele deixar de fazer efeito.

Atenção! Doses muito altas e reaplicações frequentes devem ser evitadas.

 

Gostou? Compartilhe! Obrigado.

JÁ VIU?